Viver mais não é a mesma coisa que viver bem

A Organização Mundial da Saúde (OMS) é taxativa quando aponta que a obesidade é um dos mais graves problemas de saúde a ser enfrentado. A estimativa é que, em 2025, 2,3 bilhões de adultos estejam acima do peso, sendo 700 milhões já no patamar da obesidade. E é bom ressaltar que a tendência é o excesso de peso aumentar com o avanço da idade.

No Brasil, por exemplo, esse aumento ultrapassa os 50% entre aqueles que possuem entre 25 e 39 anos. Virar o jogo é preciso, pois a manutenção do peso a níveis aceitáveis pela medicina é uma questão de saúde e longevidade. A expectativa de vida no Brasil chegou a 75 anos, faixa etária acima da média mundial de cerca de 71 anos, também segundo a própria OMS. E a tendência, com a evolução constante da ciência, especialmente a médica, é que essa média suba ainda mais.

Diante desses dados, a pergunta que não quer calar é: em que condições estarão aqueles que conseguirão ultrapassar a barreira dos 70 anos? Uma coisa é você viver mais com saúde, que passa pela manutenção do peso, e outra é chegar lá na frente, penando com os excessos que desencadeiam doenças. Portanto, faz todo sentido cuidar-se agora, adotando hábitos relacionados a uma alimentação equilibrada e a outros alicerces, como a prática de exercícios físicos e acompanhamento médico moderno. Assim, será realmente prazeroso viver mais.

Rolar para cima