texto2_img1

Osteoporose e Sedentarismo, entenda a relação

Nossos ossos são parte fundamental da nossa estrutura corporal, protegem nossos orgãos e nos permitem a movimentação. Assim como os outros componentes do corpo, eles podem vir a sofrer já na fase adulta, o desgaste de uma vida sem hábitos saudáveis.

A osteoporose é uma doença que apareça com frequência após os 50 anos, sobretudo nas mulheres e caracteriza-se pelo enfraquecimento dos ossos, o que pode levar à dificuldade para realizar tarefas cotidianas, movimentar-se ou até mesmo a fraturas mais graves. Com os ossos enfraquecidos, muitas pessoas sofrem para recuperar-se das fraturas e podem até perder parte dos movimentos, dependendo da sua gravidade.

texto2_img1

O QUE CAUSA A OSTEOPOROSE

Dentre os fatores que levam a esse diagnóstico, escolhi destacar o sedentarismo. Uma alimentação balanceada e uma rotina frequente de atividades físicas são os melhores paliativos contra essa doença. Isso ocorre porque a musculatura funciona como uma capa protetora, que envolve os ossos, sem ela, os ossos ficam desprotegidos, expostos ao risco de fratura. A ausência desse estímulo muscular acelera a perda de massa óssea, o que favorece o aparecimento da doença

É importante destacar que, além de funcionar como fator de risco para o aparecimento da doença, o sedentarismo está diretamente ligado ao diagnóstico da doença após o seu aparecimento. Mesmo pessoas que possuem uma vida ativa, tendem a reduzir as suas atividades ao sentir a fraqueza corporal, característica desse quadro. Podemos dizer, em poucas palavras, que o sedentarismo leva à osteoporose e que esta por sua vez, leva ao sedentarismo.

texto2_img2

COMO PREVENIR

Além da atividade física, a alimentação é uma das chaves para prevenir essa doença. Por meio dos alimentos podemos reforçar os níveis de cálcio e vitamina D, que são fundamentais para a saúde dos ossos.

O diagnóstico precoce também é peça chave para que o paciente consiga ter qualidade de vida. É importante que exames periódicos sejam realizados, para que, em caso positivo, o tratamento comece o quanto antes, para assim, evitar as tão temidas fraturas.

O ponto chave da prevenção não só dessa como de qualquer outra doença é algo que sempre repito: acompanhamento médico. Não espere adoecer para buscar apoio profissional.

Compartilhe

23/10/20