Capa---1 (1)

Por que a prisão de ventre é mais comum nas mulheres?

Aquela sensação incômoda de que o intestino não está funcionando como deveria, dificuldade e até dores na hora de evacuar. Você que é mulher, já deve ter identificado que estou falando sobre a prisão de ventre. Mas por que esse quadro é mais comum nas mulheres que nos homens? O meu texto de blog vai explicar um pouco sobre isso.

Antes de mais nada, é preciso conhecer o seu corpo, e o seu ritmo habitual. Algumas pessoas evacuam todos os dias, outras não, mas isso não necessariamente vem acompanhado de um mal estar. Como definir então, o quadro de prisão de ventre?

texto1 (1)

SERÁ QUE SOFRO COM PRISÃO DE VENTRE?

O principal fator que ajuda a diagnosticar o intestino preso é o esforço necessário para evacuar. Embora algumas pessoas não evacuem todos os dias, se você vai ao banheiro menos de 3 vezes na semana, pode ser um sinal de que você sofre desse mal. Outra característica que ocorre com frequência é quando alguém sente vontade ir ao banheiro, mas ainda assim não consegue evacuar.

Vários fatores podem estar relacionados a esse quadro, desde doenças inflamatórias e o hipotiroidismo até o uso de medicamentos para depressão. Nos casos em que não está associada a uma doença, a constipação ocorre por conta de uma dieta desequilibrada, pobre em fibras.

POR QUE É MAIS COMUM NAS MULHERES?

Questões biológicas, hormonais e até emocionais estão por trás desses dados. Os hormônios sexuais femininos influenciam no trabalho do intestino, e casos de intestino preguiçoso podem ocorrer durante o período menstrual.

O que é muito curioso, contudo, é que o comportamento feminino também pode ser responsável por dificultar o trabalho do intestino. Isso porque muitas meninas tem vergonha de usar o banheiro quando não estão em casa e muitas vezes passam dias sem evacuar durante uma viagem, ou quando estão acompanhados de amigos e namorados.

texto1 (2)

Esses fatores demonstram um ponto que eu sempre reforço em minhas consultas, o papel atuante do paciente no processo de cura das suas próprias doenças. Embora uma mudança na alimentação e até a suplementação possam auxiliar nesse processo, o nosso comportamento muitas vezes, é o que precisa mudar. Precisamos estimular o nosso corpo a trabalhar a favor dos nossos objetivos, sejam eles quais forem. 

Compartilhe

19/08/20